Bienal 60 Anos

Sábado passado fui para São Paulo com a galera da faculdade, para ver a mostra de comemoração dos 60 anos da Bienal, que tinha como tema a arte contemporânea de artistas norte-americanos – também demos uma passadinha na Bienal de Arquitetura, mas vou fazer o post contando só sobre a de arte!

Sinceramente parecia uma Bienal, literamente! Achei que como era só uma mostra para comemorar os 60 anos de Bienal teriam poucos trabalhos, mas me enganei muitíssimo, pois o pavilhão estava cheio de obras, em todos os andares! Com trabalhos muito interessantes, arte moderna é sempre muito legal. Fotos, instalações, vídeos, pinturas, esculturas… Tinha de tudo mesmo. Várias críticas sociais, em relação à vida… Recomendo! Mesmo pra quem não é super entendido/interessado por arte, como são obras modernas podem ser, por exemplo, uma grande influência pro design #repertório. 🙂

Ah, de quebra nos deparamos com essa obra dos Gêmeos, lá pelos muros do Parque do Ibirapuera!

Clica pra ver maissssss! 😀

Mais

O Mundo Mágico de Escher

Esse final de semana fui em uma exposição beem interessante em São Paulo, do tipo que não dá pra perder mesmo! Bom, tratava-se do grande artista gráfico holandês Maurits Cornelis Escher, muito conhecido por suas xilogravuras, litografias e meios-tons! Uma das maiores contribuições desse artista para o mundo das artes, foi sua habilidade em criar obras fazendo uso da ilusão de ótica.

São praticamente quatro andares de exposição, mas daquele tipo que te deixa super curioso, sem querer que chegue ao fim, sabem como? A maioria das obras são originais, e fizeram com que eu ficasse muito impressionada com tamanha perfeição, principalmente quando levadas em consideração as técnicas usadas!

E pelos corredores ainda tem alguns trabalhos ampliados, só para nos deixar ainda maais impressionados, hahah!

Esses aqui de baixo eram originais, e eram incríveis!

Eee o trabalho “principal”, o que mais tinha fila e que mais impressionou o pessoal – na minha opinião!

Tcharam! Como comentei, esse foi um momento inesquecível na minha vida, e único: eu mais alta do que a Diana! Era uma sala/palco em que um dos cantos era mais baixo e mais profundo, que dava a impressão de que estava rolando uma super distorção! Pra quem não conhece a Diana, e não tem ideia da minha super altura, aí vai a versão contrária:

Hehehe, genial, né?

Data: 19 de abril a 17 de julho de 2011
Horário: Terça a domingo, das 09h às 20h
Local: CCBB-SP Subsolo, térreo, 1º, 2º e 3º andares
Rua Álvares Penteado, 112, São Paulo

Entrada franca.

Imperdível pessoal 🙂

Con amore,

Valentina Rampini