Iluminando…

Finalmente acabei meu lustre! O prazo era hoje de manhã, e deu tudo certo, em tempo! A proposta era criar uma luminária para deficientes visuais, no início todos nós, futuros designers de produtos, estranhamos. Ao longo das aulas, e principalmente após uma palestra (com a Dra. Eliana Cunha Lima – fantástica!) descobrimos que não tem nada de estranho nisso, existe somente uma grande necessidade de tratar esse assunto que, particularmente, dá vontade de ajudar!

Antes de tratar esse assunto não tinha ideia de que existem inúmeras pessoas por aí com “baixa visão”. Não são cegos, mas não tem uma visão danificada pouco o suficiente para ser remediada com um par de óculos. Muitos enxergam somente vultos, outros enxergam normalmente de manhã e muito mal a noite (ficam praticamente cegos, usam bengala e tudo mais) e vice versa!  É um assunto de se tratar – seriamente. Durante a palestra a Dra. Eliana contou um caso “interessante” de um paciente que sofreu ameaças devido a sua deficiência. Quem não tem conhecimento desses casos provavelmente estranhará e muito ver um vizinho saindo para correr no parque pela manhã, e de noite indo pegar o metrô utilizando uma bengala. Ou pior, muitas dessas pessoas embora enxerguem muito pouco e utilizem uma bengala para se locomover conseguem com o auxílio de um óculos – com um grau altíssimo – ler, ver…Mesmo que aproximando muito o objeto de sua face. Seria estranho ver alguém entrando de óculos escuros e bengala no metrô, e depois abrindo um livro, não?

A partir de tais informações descobrimos que a melhor maneira de ajudar uma pessoa que tenha baixa visão seria criar luminárias de mesa, que iluminem (claro) diretamente. Quanto mais iluminado melhor para o deficiente visual. “Infelizmente” eu já tinha começado a produzir meu lustre, sem ter dimensão do quanto a luz poderia ser importante para essas pessoas… Após uma conversa com o professor (Julio Freitas) e a Dra. Eliana me inspirei para criar uma versão reduzida da minha Nuvem, que seria uma luminária de mesa. Bom, aí vão fotos do resultado!

A versão "mãe", hehe, o lustre

A versão filhote, na foto ela está 'aberta', criando luz direta

Ela fechada, criando apenas 'penumbra'

Além de toda a magia do motivo, achei que as luminárias ficaram muito legais, adorei trabalhar com fios de cobre e papel de seda! Espero que vocês tenham gostado..

Con amore,

Valentina Rampini